domingo, 27 de setembro de 2009

Sinopse do Am♥r Alheio

 Vivia ali, obscuro como os sonhos dos ciprestes, lenha, dentro da cabeça dela. Ela era dada à demência das horas que não passam, quando se está à espera. Eles eram oníricos, cada um a seu modo. Mas ele não sabia, não podia pressentir o amor, e do amor ela sabia.

Sabiam, entrementes, que pode haver dor e que o sangue existe em todas as coisas. Estavam entregues.

A vida conspirava, transpirando eventos marcados pelo circunstacial dos encontros improváveis. Ele, enraizado na cabeça dela, ela esperando que ele florescesse. Depois cansaram disso tudo e se vestiram de fogo. Duas centelhas, prestes a se extinguirem por si mesmas. A certa altura, antes do fim, ele quis e virou gás. Mas ela apagou-se primeiro e não pode querer também.

4 comentários:

Larissa Marques disse...

sê bem vindo!
é muito bom poder contar com você em mais uma empreitada!

Larissa Marques disse...

sê bem vindo!
é muito bom poder contar com você em mais uma empreitada!

Maria Júlia Pontes disse...

Gostei do seu texto Lanoia.
Parabés pela estréia!
bjos

FláPerez (BláBlá) disse...

carálio! que final!
e o "enraizado na cabeça", "esperando que florescesse" tbm foi ótimo@