sexta-feira, 6 de abril de 2012

"Minha bela Marília, tudo passa
a sorte deste mundo é mal segura" - T. A. Gonzaga

Então, Marília linda, caminhemos
por parques, pelos prados, pelas praias
aproveitemos ovações e vaias
façamos tudo enquanto nós podemos

Conheçamos, Má, meios e os extremos
que os outros todos são nossas cobaias
pegue umas roupas, suas minissaias
não temas nada, pois nós tudo temos

Vivamos juntos como dois canalhas
quem sabe um dia o banco a gente assalta
fugimos ricos pras Ilhas Canárias

e aí, pra sempre é curtição, na flauta
Você, dinheiro e a veia literária
e o resto eu juro que nem me faz falta.

Um comentário:

Michele disse...

Nilson

Uma bela recriação. Gostei da atualização de linguagem e situação.

Um abraço