quinta-feira, 2 de junho de 2011

Conserto em dor menor

Agora me descansam as canetas
e nada desse mundo pede escrita
e tudo já se disse, e supra cita

Enquanto nada dói nem me inquieta
agora, enquanto fritam minhas fritas
eu sei que é bem melhor não ser poeta

Silêncio, enquanto a sina não se ingrata
e o tempo não desgosta, nem reluta.

2 comentários:

Sandrio cândido. disse...

belo poema

Larissa Marques disse...

gostei muito!
saudade, nilson!