quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Mínimas II

sem doma

de instinto crente
vinha tinta
mistura

espora criatura

consinta
a dente
cura.

****

ciso

sou só refém
do quanto trago
levando a cabo
a mim também

nem só o bem

nem tão culpado

****

pré ferida

era ladeira
refez descida
pôs-me entre tantos

nos pêlos cantos

Um comentário:

Kiro Menezes disse...

Gosto do teu jeito de poetar!!! Simplesmente fantastico!!!

^_^•