sábado, 29 de janeiro de 2011

CERVEJA-SE

Ora Veja
Se o cidadão não
Se Cervejasse
Em suas sexta-feiríces
Em suas sabadíces
Em suas dominguices
...
Mais uma breja
Na mesa
cervagelar essa hot-síssima peleja
Da cabeça.

TIN TIN O sacrossanto ritual de cervejar-se

4 comentários:

D . Nero disse...

Olá!!
que bom que vc gostou do blog...!!
Espero que faça bom proveito..
Abração

D . Nero disse...

aaa...e deixando on link para outros que possam se interessar..
www.calendariodosom.blogspot.com

o eu blog ja ta la na minha lista!
Abração

Kiro Menezes disse...

Vamos à mesa do bar... posto que mulher não tem vez, encapuzarei-me de mim e porei meus goles a desafiar!!!

;D


Adorei o poetar!!!

Marcio Rufino disse...

Nada mais urbano que este teu poema. Rsrsrs. Gostei deses e de outros poemas do coletivo. Gostaria de convidá-los a visitar os blogs:
http://emaranhadorufiniano.blogspot.com
http://gambiarraprofana.blogspot.com
http://po-de-poesia.blogspot.com
Abrçs!!!