sexta-feira, 5 de março de 2010

Troll

16/05/03

Eu sou um troll!

Meu império está desperto,

crescendo, crescendo!


Minha música é o som da faca dos açougueiros;

o tintim no copo de cicuta é a minha música;

minha música é o som do bombardeiro!


Gosto de comer o vômito dos bêbados

e lamber os restos dos animaizinhos que morreram nas hortas.

De minha cara enfezada as criancinhas fogem.


Agrado em palitar os dentes com o fêmur de meus inimigos

me satisfarei quando, com a mão bruta,

arrancar cada feto de dentro de cada útero!

Eu sou um troll!



* do livro Memória à Beira de um Estopim

2 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Agrado em palitar os dentes com o fêmur de meus inimigos
" quero isso para mim também

Larissa Marques disse...

Eu sou um troll, uma medusa, uma cobra norato!
sua escrita é soco na boca de meu estômago!